Associação Sul-Brasileira
dos Distribuidores de Autopeças

O faturamento líquido nominal do setor de autopeças no acumulado de janeiro a junho deste ano foi 10,4% superior ao registrado em igual período de 2018, segundo levantamento mensal feito com 60 empresas associadas ao Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), que representam 36,2% das vendas totais do setor no Brasil. Houve aumento nas vendas para montadoras (12,8%), intrassetoriais (31,7%) e mercado de reposição (7%).

As exportações diminuíram 10,5% quando mensuradas em dólares, mas mantiveram-se no mesmo patamar em reais. A utilização da capacidade instalada em junho foi de 73%, mesmo percentual do mês anterior. Veja outros indicadores no Relatório da Pesquisa Conjuntural.

Balança comercial

Os embarques de autopeças no primeiro semestre, para 189 mercados, somaram US$ 3,7 bilhões, 4,3% menos que em igual período de 2018, segundo dados do Ministério da Economia consolidados pelo Sindipeças. As importações, de 161 diferentes origens, foram 19,9% menores e totalizaram US$ 5,7 bilhões. Com esses resultados, o déficit comercial de autopeças no acumulado até junho foi de cerca de US$ 2 bilhões, 38,8% menor que o registrado nos mesmos meses de 2018.

Os Estados Unidos ocuparam o primeiro lugar na lista de destinos das exportações e a China, o topo do ranking de origem das importações. Veja outras informações, como a balança comercial de autopeças por Estado e a relação de produtos exportados e importados, no Relatório da Balança Comercial de Autopeças.

Estímulo à internacionalização

O projeto Brasil Auto Parts – Trusted Partners, parceria do Sindipeças e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realiza ações relevantes para o aumento das exportações brasileiras de autopeças. Conheça as ações programadas para o segundo semestre e as já realizadas em 2019, em vários países.

Fonte: Sindipeças

Posts Relacionados